Search
  • nathalie4646

A Marketing Translation & Localization Agency

Updated: May 21, 2020

BE UNDERSTOOD For English, please scroll down.




Ser compreendido é muito mais do que ser notado, ouvido ou respeitado.

Ser compreendido é não dar chance para as dúvidas.

É ter a certeza de que todos os significados das suas mensagens sejam entendidos, mesmo quando eles estiverem escondidos nas entrelinhas.

Mas nem sempre precisamos da palavra perfeita para que nos compreendam.

Quantas vezes seus pais já não lhe deram uma bronca apenas por olhares?

Quantas vezes você já não se apaixonou por um sorriso?

Quantas vezes você já não usou das piscadinhas como sinal de aprovação? Vivemos em uma era de excesso de informação.

É urgente interpretar as mais diversas mensagens com sensibilidade.

Não somos um sistema ou um robô. Somos seres humanos. 


Fomos claros?


Há quem encare a tradução de textos como uma tarefa mecânica, mas convidamos você a mergulhar neste tema, para descobrir como a tradução criativa pode transformar a experiência das pessoas em uma campanha, evento ou até mesmo vendo um filme dublado ou legendado.


O dia-a-dia de trabalho nos ensinou que a tradução de conteúdo criativo pode apresentar um enorme desafio para as empresas. Encontrar uma empresa de tradução no Google ou através de indicação é uma tarefa relativamente fácil. Encontrar uma empresa especializada em adaptação de conteúdo para o mercado de comunicação e publicidade, focada em realmente transmitir ideias incríveis é um desafio maior.


O paradoxo da autoria

Não é nenhuma surpresa que os autores de determinadas obras querem que seus insights, ideias e conceitos sejam disseminados amplamente. Esse é o ponto, não é mesmo? Mas para que o conteúdo seja abrangente, muitas vezes o mesmo precisa ser traduzido em outros idiomas. Afinal, existe todo um mundo lá fora.


Um grande gargalo dentro desse contexto é que às vezes as traduções precisam ser criativas para realmente ter uma conexão com o público-alvo. Isso não requer apenas a tradução em si, mas a adaptação de conteúdo através de interpretações criativas que levem em conta cultura, modismos, históricos socioeconômicos, entre outras coisas. Ao mesmo tempo, é importante garantir que a mensagem do autor original seja compreendida. Isso significa que o nosso dever é aquele de transcriação, sempre fazendo jus ao proprietário da obra original.


Muitos criadores de conteúdo possuem uma postura defensiva quando o assunto é seu trabalho. E deveriam. Ideias são um dos nossos maiores bens como seres humanos, e quando temos uma ideia, nós criamos. Quando criamos, transformamos. Isso apresenta um desafio para as pessoas que trabalham com adaptação de conteúdo, pois é necessário equilibrar as interpretações adequadas que transmitem a mensagem principal e ao mesmo tempo garantir que o autor se sinta representado, e seu trabalho, valorizado.


Portanto a pergunta que não quer calar permanece: como adaptar conteúdo de maneira certeira em idiomas estrangeiros e simultaneamente honrar a autoria e preservar a mensagem original? Bem, nós acreditamos que a resposta é muito mais simples do que se imagina, afinal o que toda pessoa quer? Simplesmente ser compreendida.


Mas o que significa ser compreendido?

Compreender vai além de entender porque está além da crítica. É uma experiência. É sentir.

Compreender é fazer o movimento de estar na pele do outro. Significa ter empatia.


Tradução para empresas de comunicação, marketing e publicidade na prática

Redatores geralmente enfrentam grandes desafios, pois não só precisam criar campanhas, roteiros, conceitos, slogans e muito mais do zero, mas suas criações também precisam gerar vendas. E aquilo que vende no Brasil, nem sempre é o que vende nos Estados Unidos, no México ou até mesmo no Canadá. Por quê? Porque pessoas diferentes de lugares diferentes têm um jeito específico de falar, de se relacionar, de comprar.


Até agora, você sabe exatamente do que estamos falando, certo? Mas vamos falar na prática. Em primeiro lugar, todas as palavras ou expressões precisam ser traduzidas? De jeito nenhum. Às vezes, simplesmente não há uma expressão equivalente em outro idioma e é nosso trabalho saber fazer essa distinção. A título de exemplo, quem não lembra uma certa marca quando vê ou escuta Just Do It? É simples assim. Muitas vezes a tradução customizada para mercados de comunicação pode simplesmente significar a “não tradução”.


Mas a verdade é que existem diversas outras ocasiões onde é sim possível desenvolver traduções criativas incríveis que fogem do literal. Vamos falar sobre expressões famosas que são frequentemente utilizadas em conteúdo criativo por serem divertidas e de fácil identificação. Em inglês, a expressão An Apple Doesn’t Fall Far From the Tree significa que uma pessoa é muito semelhante aos seus pais. Não é então grande surpresa que autores usaram esse ditado para falar sobre o gigante de tecnologia, Apple no Huffington Post em 2010.


Mas como uma empresa brasileira, a All Type poderia traduzir isso literalmente? Claro que não, pois qualquer brasileiro ficaria com um ponto de interrogação ao ler “Uma maçã não cai longe da árvore”. E como alternativa, poderíamos utilizar o ditado brasileiro que quer dizer a mesma coisa: “Filho de peixe, peixinho é”? Também não, pois apesar do ditado fazer sentido, ele peca claramente na hora de brincar com o nome da marca “Apple”. E mais, nesse artigo específico, a autora utiliza esse ditado apesar de não estar se referindo à mensagem original da expressão, ou seja, não tenta mostrar que a Apple é semelhante a uma outra marca. A matéria trata-se da consumidora finalmente aceitar sua migração do Blackberry para a Apple. Resumidamente, ela se apaixonou pela marca.


Em termos criativos e para fazer jus à autora, é importante fazer um jogo com as palavras e manter o nome ou logo da marca no título. Existem diversas maneiras de fazer isso e quando o assunto é palavras, o céu é o limite. Se a tradução desse artigo fosse para português, poderíamos brincar com a ideia de que ela foi fisgada pela maçã do amor. Assim, mantemos a maçã da Apple no título e ainda preservamos o tom divertido da redatora.


Onde queremos chegar? Estamos falando de extrair a essência do texto, compreender a importância do conjunto de palavras e preservar suas nuances originais. Estamos falando de olhar para textos, arte, conceitos, design e ser realmente compreendido.


E a All Type com isso?

Após oito anos de mercado, evoluímos. Diferentes formatos de projetos nos ensinaram que cada cliente tem orgulho da sua própria voz, e assim, aprendemos a caminhar juntos na excelência em atendimento, gestão e entrega de resultados.

Nossa missão é garantir que a comunicação de todos nossos parceiros seja assimilada em um universo local ou estrangeiro.


Be understood.

...

To be understood is more than being noticed, heard or admired. To be understood means leaving no room for trepidation. It is to make sure that every meaning in your content is fully acknowledged, even when they are hidden between the lines.  But we're not always looking for the right word to make ourselves understood. How many times have your parents scolded you with a look? How many times have you fallen in love with a smile? How many times have you winked across the room as a sign of approval? Yes, that is our expertise: to customize the most diverse types of messages with empathy and insight.  We are not a system or a robot. We are human beings. We have feelings and talent to translate exactly what you want to say. 

Have we made ourselves clear? 


There are those who perceive translation as a mechanical task, but we’d like to invite you to scratch under the surface of this topic and find out how creative translations can change people’s content experience in a campaign, event or even while doing something as simple as watching a dubbed or subtitled movie.


Our daily grind has taught us that the translation of creative content can present a major challenge to businesses at large. Finding a translation company on Google is as easy as it gets, but to stumble upon a business specialized in creative content adaptation for communication, marketing and ad agencies to truly get amazing ideas across is a whole new ball game.


The Authorship Catch-22

It comes as no surprise that authors of any given work want their insights, ideas and concepts to be disseminated as much as possible. That’s the point, isn’t it? But in order for content to be wide-ranging, it often needs to be translated into different languages. After all, it’s a big world out there.


One major bottleneck is that often translations need to be creative to truly speak to the audience at hand. This requires not only translation per se, but adaptation of the content through creative interpretations that consider culture, jargon, socio-economic contexts, among many other things. All the while, making sure that the original author is fully understood. That means that our job is to serve as transcreators, always doing right by the owner of the original piece.


Many content creators are particular and rather defensive about their work. And rightfully so. Ideas are one of our greatest assets as human beings and when we have one, we create. When we create, we transform. This presents a challenge to people adapting content as they need to balance out appropriate interpretations that convey the underlying message while making sure that the author feels represented and their work, honored.


So the question remains: how to adequately adapt content to foreign languages while remaining faithful to authorship and preserving the original message? Well, we believe that the answer is much simpler than one might think, after all what does anybody ever really want? To be understood.


What does it mean to be understood anyway?

To understand gravitates beyond language in and of itself. It transcends judgement (or lack thereof). It’s an experience. A feeling.


To understand is to put yourself (sometimes literally) in someone else’s shoes. It’s to show empathy.


Translation for Communication, Marketing and Ad Agencies in Practice

Copywriters have a challenging task at hand – not only do they need to create campaigns, scripts, concepts, taglines and more, often from scratch, but their creations also need to sell. And what sells in America isn’t always what sells in Brazil, Mexico or even Canada. Why? Because people have a specific way of speaking, of relating, of purchasing.


So far, you know exactly what we’re talking about, right? But let’s get practical. First and foremost, do all words or expressions need to be translated? Absolutely not. Sometimes, there simply is no equivalent expression in a different language and it is our job to know when to make this distinction. To use an obvious but relatable example, who doesn’t instantly recall a certain brand when they read or hear “Just Do It”? It’s that simple. Sometimes customized translation for communication markets can actually mean no translation at all.


But the truth is, there are many other occasions where you can come up with amazing creative translations that are far from literal. Let's look at famous idioms for example, which are constantly sources of creative content due to their relatable and playful nature. Do you remember the phrase: "An Apple Doesn’t Fall Far From the Tree?" Well, it’s no surprise that authors used this expression to talk about high-tech giant, Apple on the Huffington Post in 2010.


But as a Brazil-based company, could All Type translate this literally? Absolutely not and Brazilians everywhere would probably be puzzled, to say the least. Then, could we use the equivalent Brazilian idiom to create this title: Filho de peixe, peixinho é? In literal English translation, “The offspring of a fish will grow up to be a fish”. Here, not only does it make zero sense to a native English speaker, but it fails to play with the brand name and the idiom itself. And what’s more, in this specific article, the author chooses to use the saying, but doesn’t necessarily apply it to reflect that Apple as a product is similar to its predecessors. The article is about the consumer finally coming to terms with migrating from Blackberry to Apple. In short, she fell in love with the brand.


Creatively speaking and in order to do justice to the author, it’s important to play with the brand name in the title. There are multiple ways to do that and really, when it comes to words, the sky is the limit. If the translation were to be in Brazilian Portuguese, we could essentially talk about how she was hooked by the maçã do amor. Now, a maçã do amor is what you might know as a candy apple, however it’s literal translation in English would be “love apple”.


Where are we going with this? We are talking about extracting the essence of the text, grasping the importance of wordplay and maintaining the original tone. We are talking about looking at text, art, concepts, design and being understood.


What does All Type have to do with this?

After eight years of market expertise, we’ve evolved. Different project formats taught us that each client is proud of their voice. And that’s how we learned to walk hand in hand in the pursuit of excellence in services, management and deliverables.


Our mission is to ensure that our partners’ communication is assimilated in a local or foreign universe.


Be understood.

100 views0 comments